Mesa e Camiseiro da vovó

Um restauro traz outro, seja lá o tempo que isto demore…

IMG-20171205-WA0008
A familia entendeu que reformar a casa toda incluia recuperar as duas peças, uma mesa e um camiseiro (ao fundo) com muito carinho pela transmissão de duas gerações.

A mesa em caviúna com pés palitos muito elegantes, pode dobrar de tamanho e é toda desmontável, não tem ferragens especiais, apenas parafusos e boa marcenaria. Viveu cerca de 80 anos e pediu apenas a troca da folhas do tampo, além da aplicação de seladora nitrocelulose com aspecto semi brilho.

20171201_143515Destaque para a borda chanfrada em 45 graus, que dificultou muito a aplicação da nova folha de inbuia que substiuiu a antiga de caviuna. A borda acomoda com conforto o braço das pessoas, algo perdido nos móveis atuais.

O camiseiro, com cem anos, mais sofrido, foi “arrumado várias vezes”  e exigiu uma interneção maior, veja abaixo os tipos de desgastes e problemas enfrentados:

20171117_111403 20171117_11122820171117_111357

Riscos, descolamentos, quebra de baguetes, escurecimentos, goma laca escurecida e quebradiça, pregos na face da face principal, etc
Veja a sequencia de fotos…

20171117_111322 20171117_111312 20171117_111254 20171117_111408 20171117_111415

 

20171117_111421 20171117_111444

:










 

 

 

 

 

Pés quebrados e rachaduras nas espigas são os problemas que sempre encontramos nos móveis antigos.

20171117_111740Vista do camiseiro já totalmente decapado da goma laca. 


20171117_121156Tanto a mesa como o camiseiro continham os selos fiscais de 1000 reis, e da fabrica de móveis Schuz do Largo Arouche, uma pitada de respeito!


IMG-20171205-WA0003Destaque para a machetaria que se revelou colorida, parte em losangos, com detalhe ao centro bem rebuscado, metais em latão e detalhes de folhas esculpidas no entorno do tampo.

IMG-20171205-WA0006

Saber que móveis como este ainda tem lugar, nas vidas privadas, e que estarão marcando a terceira geração desta familia, nos mostra as brechas e a satsifação de resisitir na marcenaria. ;-))

Published by

Adriano

Aleatóro é um atelier, uma oficina de experimentação. Um fazer novo com máquinas e materiais antigos. Nos relacionamos com o mercado na medida do possível e da necessidade. A madeira e o tecido quase sempre estão nos projetos que chegam aos clientes, porém nós recebemos por aqui toras de serrarias, peles de curtumes e tecidos da china. Maquinas, madeiras, tecidos e couros que garimpamos na região do Gasômetro em São Paulo, no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


9 − = quatro